Navegação
  •  

Sinfônica da UFRN faz ensaio aberto para imprensa nesta terça, dia 05, para concerto de encerramento da “Temporada 2017

A Sinfônica da UFRN faz o encerramento da temporada de concertos 2017 nesta quinta-feira, dia 07, com a execução inédita no Estado da obra “Grande Missa Nordestina” de Clóvis Pereira. A imprensa vai poder conversar um pouco com os instrumentistas e cantores no ensaio geral desta terça-feira, dia 05, das 14h30 às 16h00, no local do concerto, na Igreja Matriz Nossa Senhora da Apresentação (Antiga Catedral).

Concerto tem participação do Madrigal da UFRN, solistas e comemora crescimento da atuação da orquestra

A Orquestra Sinfônica da UFRN faz o encerramento da “Temporada 2017” com a execução da belíssima obra armorial “Grande Missa Nordestina” na próxima quinta-feira, dia 07, às 19h30, na Igreja Matriz Nossa Senhora da Apresentação (Antiga Catedral). Este concerto tem a participação especial do Madrigal da UFRN. A entrada é gratuita.

A composição veio da necessidade do autor, Clóvis Pereira, de valorizar os elementos da música regional nordestina. O primeiro movimento tem estruturas melódicas das “Escalas Nordestinas” e ritmo apoiado na “Dança dos Cabloquinhos”. A obra também traz violinistas imitando sons da rabeca, elementos musicais do “Baião de Viola” e das “Bandas de Pífanos”. Segundo o maestro André Muniz, “encerrar o ano da Orquestra com a Missa Nordestina é a melhor forma de anunciar as boas novas do natal e com elementos musicais que tocam todo nordestino”.

Além dos cantores do Madrigal da UFRN, a orquestra recebe dois grandes solistas: a mezzo-soprano Virgínia Cavalcanti, pernambucana de grande expressividade na arte vocal do Nordeste, e o barítono Fellipe Oliveira. A regência é do maestro oficial André Muniz.

Sobre a “Temporada 2017”

A Orquestra Sinfônica da UFRN termina o ano de 2017 com saldos positivos. Foi implementado nos dias de concerto oficial mais uma sessão. “A cada ano tivemos um aumento significativo de público. Então, atendendo aos pedidos que recebíamos em nossas mídias sociais, passamos a fazer duas sessões no mesmo dia de concerto oficial”, explica André Muniz.

Outra inciativa foi a ampliação dos “Concertos Didáticos” destinados ao público infantil e juvenil de 6 a 12 anos. De acordo com o maestro, “estamos com uma demanda de 21 escolas cadastradas, entre públicas e privadas, que aguardam a oportunidade de levar seus alunos aos nossos concertos educacionais”.