Pianista Eduardo Taufic e bailarina Patrícia Leal apresentam espetáculo híbrido Ponto Móvel

Na próxima sexta-feira, dia 20 de maio, a Escola de Música da UFRN recebe o espetáculo Ponto Móvel – projeto contemplado pelo Edital FIC 2015 da prefeitura do Natal e que conta com o apoio da Escola de Música da UFRN. O show une dança contemporânea, canto e piano, e brinca com a improvisação e a poesia, seja esta falada, cantada ou corporalmente representada. No palco a bailarina e pesquisadora Patrícia Leal dança, canta, interpreta e interage com o tempo, o espaço e a mobilidade, junto ao acompanhamento musical e interpretativo do pianista Eduardo Taufic. A entrada é gratuita, com retirada de ingressos 01 hora antes do espetáculo.

 

PONTO MÓVEL

“Ponto Móvel” é um espetáculo contemporâneo com interface de linguagem entre música, dança, performance e poesia. Em cena, as artes exploram espacialmente a ideia do ponto no espaço e as amplas possibilidades de movimento e sons a partir deste ponto. O corpo e a música se utilizam das dimensões para exercerem os conceitos das curvas, espirais e multifocos que permeiam o fluxo de ar no corpo, e que tornam o ponto flexível e móvel.

A música do espetáculo é também autoral, porém carrega canções conhecidas brasileiras. A improvisação contorna o encontro da aparentemente bailarina Patrícia Leal com o aparentemente músico Eduardo Taufic. Num diálogo estruturado, o conceito da bailarina que dança e do músico que toca se desfaz; a dança torna-se música e o som produzido pelo pianista torna-se dança. Neste momento o espetáculo “Ponto Móvel” desenvolve o questionamento sobre fronteiras fixas: o show de música, o espetáculo de dança, a performance, a improvisação. A linguagem reverbera na transformação e hibridização do material de criação, chegando ao público de forma tátil, sonora, imagética e olfativa. Concepção sensorial que conduz do espetáculo.

 

Patrícia Leal

Artista, pesquisadora e docente. Dirigiu e concebeu espetáculos como “Se as paredes tivessem sentidos”(2003/4),  “Amargo Perfume” (2005/7), Intensos (2007/10) e "Variações sobre Chocolates" (2008/10), “Vagueia” (2010/11), “Errática” (2012/13) onde atua como intérprete criadora. “Amargo Perfume” foi selecionado pelo edital de ocupação da Caixa Cultural em 2005/2006, através do projeto “Roda: girando diálogos de Dança”. "Intenso" foi selecionado para o Projeto Solos de Dança do SESC São Paulo em 2007 e para o “Semana Pra Dança” em Campo Grande em 2010. “Errática” foi selecionado no edital Quarta que Dança 2012 da Fundação Cultural do Estado da Bahia e no edital Klauss Vianna 2013 da Funarte. Em seus espetáculos trabalhou com músicos como Euclídes Marques, Marcelo Martinez Vieira, Adriano Dias e agora Eduardo Taufic. Vários de seus trabalhos foram compostos por canções de sua autoria como em Silêncio (2000), “Se as paredes tivessem sentidos” (2002), “Intenso”, e “Errática”, bem como contaram com trilhas sonoras originais.

Patrícia Leal é professora do curso de Dança e da Pós-graduação em Artes Cênicas da UFRN. Foi professora na Escola de Dança da UFBA. Coordena o projeto de extensão: Jam Session: Momento Cênico em movimento, que há cinco anos realiza Jam Session abertas ao público. Patrícia ainda é Doutora pelo Instituto de Artes da Unicamp, é Mestre em Artes/Dança formada pela Unicamp, bacharel em Comunicação Social pela Unesp. É autora dos livros “Respiração e expressividade: práticas corporais fundamentadas em Graham e Laban”(2006), e “Amargo Perfume: a Dança pelos sentidos” (2012) publicados pela Editora Annablume e Fapesp. Na linha de pesquisa "Dança pelos sentidos" que desenvolve no grupo de estudos "Cirandar", da UFRN, dá continuidade à pesquisa iniciada no doutorado a partir de processos de criação em dança, valorizando os sentidos da percepção como estímulos geradores da arte da dança, bem como a improvisação como fio condutor nesses processos a partir de sua possibilidade de integração entre preparação corporal, interpretação e criação. Nessa direção coordenou o projeto de residência “IMPRO CESSO: diálogos dramatúrgicos em improvisação em outubro de 2013, que resultou em apresentações do processo e se desenvolve atualmente numa publicação a ser lançada em breve em conjunto ao CD com as músicas produzidas”.

 

Eduardo Taufic – Interpretação e arranjos

Eduardo Taufic é pianista, tecladista, arranjador e produtor musical. Nasceu em Natal, Rio Grande do Norte, em 1976. Iniciou seus estudos na música aos 11 anos com o maestro Waldemar Ernesto, e em 1991 firmou-se como músico profissional. Arranjou, dirigiu e tocou em mais de 400 álbuns e em shows de artistas do circuito local e nacional, a exemplo de Núbia Lafaiyett, Elza Soares, Wilson Simonal, dentre outros. No campo da música instrumental tocou e gravou ao lado de nomes como Arthur Maia, Ricardo Silveira, Guinga, Pascoal Meirelles, Zé Canuto, Nei Conceição, Márcio Menezes, Márcio Rezende, Fábio Costa, Sérgio Groove, Di Steffano, Jubileu Filho, Antônio de Pádua, Gilberto Cabral, Manoca Barreto, Roberto Taufic, entre outros. Assinou trilhas sonoras de espetáculos conceituados como “A Paixão de Cristo” (edições de 2001 a 2010) e “Terra à Vista II”. Em 1994 realizou turnê pelo continente europeu com diversos artistas brasileiros. Durante seis anos consecutivos, destacou-se como vencedor do troféu “Noite dos Artistas”, recebendo o prêmio de melhor instrumentista no “I Festival da Nova Música do Nordeste”, em 1995. Atua como produtor musical em projetos fonográficos e no campo publicitário, produzindo jingles, spots e trilhas para filmes e documentários. Foi pianista do Trio Sun, grupo instrumental que conquistou o 1º lugar na eliminatória nordeste do Cascavel Jazz Festival 2003. Registrou seu primeiro trabalho solo no cd “Gestos” 2006 - integralmente autoral. Participou de inúmeros festivais, entre eles FESTIVAL JAZZ & BLUES DE GUARAMIRANGA (edições 2003, 2010 e 2012), e PIRIJAZZ e CHAPADA IN JAZZ. Em 2007 integrou-se a múltiplos shows pela Europa com artistas como Giovanna Gattuso, Gilson Silveira e Roberto Taufic, participando igualmente de festivais de jazz como o PERC JAZZ FESTIVAL e o JAZZ IT. Ainda em 2007 lança o seu segundo álbum, intitulado “Dois Corações”, em performance solo. Neste, toma por instrumentos o piano rhodes e a escaleta, e realiza interpretações de diversos compositores brasileiros e internacionais. Em 2008 grava seu primeiro DVD em formato DUO com seu irmão, o músico Roberto Taufic. Em comemoração aos seus 18 anos de carreira, grava ainda em 2008, o seu segundo DVD - “Eduardo Taufic TRIO”- o qual obteve intenso sucesso de público e crítica. Em 2010 conquista o prêmio de melhor instrumentista no 1º Festival Nacional da ARPUB – Associação das Rádios Públicas Brasileiras. Recentemente, excursionou pela Europa onde se apresentou ao lado de músicos como Guinga, Roberto Taufic, Giovanna Gattuso, Silvia Donatti e Barbara Raimondi. Em 2011 tocou no Circuito OFF da Caixa Econômica em Curitiba durante o curso de verão e lança neste mesmo momento, o seu novo álbum “Estiagem”, o terceiro de sua carreira solo. Gravou ainda em 2011, junto ao seu irmão Roberto Taufic, o cd “Bate Rebate”, em formação duo de piano e violão, que contou com produção musical do renomado pianista e arranjador André Mehmari e foi lançado e reeditado para o mercado japonês. Em 2012 lhe é concedido o prêmio de instrumentista do ano no X Prêmio Hangar de Música; Ministrou oficinas de harmonia, improvisação e piano no SESC Arsenal em Curitiba e no município de Guaramiranga (CE) no âmbito do projeto “Música é para a vida”. Ainda neste verão, empreende nova turnê durante um período de 20 dias com o projeto Duo Taufic, incluindo shows e masterclasses nas cidades de Turim, Milão, Portovenere, Roma e Laigueglia. Recentemente, aguarda o lançamento do segundo cd do Duo Taufic, gravado em milão em 2013 e que será apresentado juntamente com coreografias criadas pelo ballet da CDTAM. Em Natal (RN)– cidade em que reside - atua igualmente como professor de piano popular, Harmonia funcional, composição, arranjo e improvisação.

 

Serviço:

Ponto Móvel

20 de maio, Sexta-feira às 19h30.

Escola de Música da UFRN

Entrada gratuita – (Ingressos devem ser retirados no local 01 hora antes do espetáculo)

Classificação: 12 anos