Percumpá

O grupo PERCUMPÁ apresenta obras de câmara instrumental, tendo como especificidade a música exclusivamente percussiva com ênfase em técnicas expandidas e processamento sonoro digital, focado nas práticas interpretativas dos séculos XX e XXI. Composto atualmente por 11 percussionistas, o repertório contempla basicamente obras desde duos até nonetos para percussão. As obras selecionadas, geralmente de caráter performático, utilizam-se desde técnicas expandidas para determinados instrumentos tradicionais (como a marimba, por exemplo), até peças que utilizam instrumentos não convencionais, como isqueiros ou baquetas fluorescentes, requerendo black out no local da apresentação. Nessa temática, destaca-se a obra “Tutuguri VI”, do compositor Wolfgang Rihm,. Escrita para vários instrumentos de percussão, como madeiras, pratos e vários tipos de peles com diferentes materiais e tamanhos, os intérpretes desempenham uma espécie de malabarismo, desempenhando demasiada sincronia e altíssimo nível de performance.
 HISTÓRICO DO GRUPO: 
 
O Grupo PERCUMPÁ-UFRN foi recém criado e é coordenado pelo Professor de Percussão e Bateria da EMUFRN – Cleber da Silveira Campos. É formado por professores e alunos de percussão dos cursos técnico, bacharelado e do Curso de Pós Graduação em Práticas Interpretativas com ênfase na música no Século XX e XXI. Surgiu em meados de 2011.1, a partir da necessidade de execução deste repertório específico e da carência de grupos instrumentais voltados para esta formação bem como do gosto estético dos integrantes pela música contemporânea. O grupo estreou realizando recital na Escola de Música da UFRN vinculado ao curso de Pós-Graduação,também coordenado pelo Prof. Cleber Campos. Obteve boa receptividade e aceitação do público principalmente pelo caráter inovador e performático de sua apresentação. O nome PERCUMPÁ-UFRN surgiu a partir da inspiração em uma de suas influências, o“DUO PATICUMPÁ”, formado pelos professores de percussão Cesar Traldi (Universidade Federal de Uberlândia – UFU) e Cleber Campos (EMUFRN). O grupo apresentou-se em diversos festivais pelo nordeste e sudeste, tais como: Festival Paraíba Percussiva e 4º Dia Percussivo, ambos na cidade de João Pessoa (PB), onde realizaram o concerto de abertura do festival; “Semana da Música 2011 da EMUFRN”, realizado na cidade de Natal (RN) e tendo como professor convidado Luiz Marcos Caldana – SP; “Semana da Música 2012”, tendo como convidado os professor John Boudler (UNESP-SP); série “Concertos Percussivos da UFRN”, tendo como professores convidados César Traldi (Universidade Federal de Uberlândia – UFU), Carlos Tarcha (Escola Superior de Música de Colônia – Alemanha); Fernando Iazzetta (USP-SP), Jônatas Manzolli e Silvio Ferraz (UNICAMP-SP); abertura do “Seminário de Direitos Humanos da UFRN”; bem como importantes eventos percussivos do Brasil de âmbito internacional, tais como: “V Encontro Internacional de Percussão”, na cidade de Tatuí – São Paulo e o “Encontro Percussivo 2012”, realizado na EMESP Tom Jobim, na cidade de São Paulo-SP.