Aluno da UFRN busca recursos para fazer Mestrado na Suíça

Um dos maiores talentos musicais a despontar na Escola de Música da UFRN nos últimos anos, Caio César da Silva irá realizar recital beneficente nesta quinta-feira, às 19h30, no Auditório Onofre Lopes. Os ingressos custam R$ 20 e podem ser adquiridos na Coordenação de Eventos da Escola de Música ou no horário do recital em frente ao Auditório. 

 
Caio César foi aprovado com bolsa integral para cursar Mestrado na Hochschule der Künste Bern, na Suíça, com Thomas Rüedi, um dos mais renomados eufonistas do mundo. Porém, para conseguir seu visto de estudante, Caio precisa comprovar ter meios de subsistência, pois não é permitido que ele obtenha permissão de trabalho durante seu primeiro ano na Suíça. Para isso, ele iniciou uma campanha de financiamento coletivo, com o apoio de diversos professores da UFRN, acessível por meio do seguinte link:
 
 
No recital desta quinta-feira, Caio César contará com o acompanhamento do Prof. Durval Cesetti ao piano e com a presença de dois convidados especiais: o Prof. Fernando Deddos ao eufônio e o tenor Kaio Morais, professor do Instituto Waldemar de Almeida. No program
 
Um exemplo de dedicação e superação
 
"Caio é daqueles alunos que todo professor gostaria de ter, um exemplo de dedicação", destaca o Prof. Fernando Deddos, descrevendo como a rotina de estudos dele tem feito com que ele consiga um ritmo de aprendizado muito acima da média. "A comunidade da Escola de Música da UFRN já se acostumou a ouvir o som de Caio estudando, pois parece que ele está sempre por aqui, seja às 7h da manhã ou às 21h, em finais de semana e feriados." Fernando, doutor pela University of Georgia e reconhecido como o maior nome do eufônio no Brasil, foi contratado pela UFRN em 2016. Logo em seguida, Caio, que morava em Recife até então, resolveu se mudar para Natal justamente para poder estudar com ele.
 
Para isso, Caio precisou de muito esforço: "eu tive que aprender a me virar sozinho desde muito cedo. Trabalhei muito antes de chegar em Natal para poder comprar meu próprio instrumento e me sustentar." O pianista Durval Cesetti, outro professor de Caio na Escola de Música, com quem ele já se apresentou em inúmeros recitais, descreve algumas das várias dificuldades que ele teve que superar em sua vida para chegar aonde está:
 
"Imagine você não ter uma família para te apoiar. Imagine ter sido abandonado pelos pais quando bebê e resgatado por seus bisavós, que viriam a falecer antes de você completar 10 anos de idade. Imagine você crescer com imensas dificuldades familiares e financeiras, e,  apesar de tudo isso, você conseguir se virar sozinho, sendo capaz de se tornar um dos melhores intérpretes de seu instrumento no Brasil, muito provavelmente o melhor em sua faixa etária", destaca Durval. "Eu conhecia o Caio até há pouco tempo apenas como um dos melhores alunos de música de já conheci, uma combinação ideal de talento, esforço e perseverança. Gradualmente, fui conseguindo que ele se abrisse comigo e contasse os detalhes de sua vida, o que fez com que minha admiração por ele crescesse exponencialmente. É uma pessoa cuja força de vontade e caráter fez com que ele se tornasse quem é, mesmo com tantas condições adversas."
 
Prof. Flávio Gabriel, professor de trompete da UFRN, comenta como Caio passou em sua vida "por várias situações dramáticas que, se fossem parte de um filme, seriam consideradas pouco plausíveis. Ele já demonstrou ser capaz de enfrentar e conquistar muitas dificuldades, por isso não hesito em afirmar que um investimento em Caio é algo no qual não nos decepcionaremos, pois ele certamente continuará sua trajetória de vitórias e será um nome importante na formação de jovens músicos no futuro." 
 
1/3 da meta já atingida
 
A campanha para que Caio possa ir estudar na Suíça foi iniciada no início de maio. Desde então, 1/3 do valor necessário já foi conseguido. Porém, Caio necessita dar entrada em seu pedido de visto de estudante até o início de julho, pois as aulas de seu Mestrado começarão em setembro, e ainda falta muito para que ele possa demonstrar ter os meios de subsistência necessários para receber o visto. "Por isso", enfatiza Prof. Durval, "faço uma solicitação especial para que todos contribuam e, ainda mais importante, que compartilhem a história de Caio entre todos seus familiares, amigos e conhecidos".